Laboratório de Estudos da Linguagem, Literatura e História (LANGUE)


O Laboratório de Estudos da Linguagem, Literatura e História (LANGUE) foi criado em 2016 na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), sob a coordenação do Prof. Dr. Natanael Duarte de Azevedo e com participação de pesquisadores/as da UFRPE e de outras IES do Brasil. O Laboratório desenvolve atividades de pesquisa que tratam da historiografia da literatura brasileira nos séculos XIX e XX e das relações de linguagem, gênero e poder de grupos subalternos.

​Através de ações integradas entre projetos de iniciação científica (financiados por diferentes agências de fomento), projetos vinculados ao Programa de Atividades de Vivência Interdisciplinar (PAVI-UFRPE), o Mestrado em Estudos da Linguagem (PROGEL-UFRPE) e o Programa de Pós-graduação em História (Mestrado e Doutorado) da UFRPE, o LANGUE tem promovido diálogos e articulações entre estudantes da graduação e da pós-graduação.

O LANGUE conseguiu, de forma ininterrupta, aprovar projetos em editais de bolsa de iniciação científica (bolsas CNPq/UFRPE, CNPq-Af e FACEPE), além de outros editais de bolsa de pós-graduação (bolsas FACEPE) e de fomento à pesquisa (Chamada MCTIC/CNPQ Nº 28/2018 – UNIVERSAL). Destaca-se que as ações desenvolvidas pelo LANGUE produziram diversos artigos científicos, livros, capítulos de livros e organização de eventos nacionais e internacionais, proporcionando uma maior visibilidade do Laboratório e das pesquisas nele desenvolvidas no cenário acadêmico nacional.

 

Site do LANGUE: www.langueufrpe.com

Líder(es): Natanael Duarte de Azevedo


Análise de gêneros e de discursos


Vários trabalhos têm sido apresentados em congressos/encontros nacionais e internacionais, sobretudo com a temática de gêneros e análise crítica de discursos. O grupo realiza reuniões quinzenais para discutir temas sobre AD e Teoria da Enunciação. Atualmente os trabalhos têm-se concentrado nos estudos de gênero, no trabalho feminino, com pesquisas já concluídas e outras em andamento. Pesquisadores de instituições privadas têm se agregado ao grupo, tratando de temas diversos relativos às linhas de pesquisa. Estudantes participantes do grupo têm apresentado o resultado de seus trabalhos de pesquisa e recebido auxílio financeiro para participação em eventos de diferentes agências de fomento (CAPES, CNPq, FACEPE). O grupo mantém vínculos com outros pesquisadores de outros grupos de estudos. Em 2019 concluímos pesquisa sobre identidade de gêneros e o papel da igreja, e encontra-se atualmente em andamento pesquisa sobre o papel da mulher nas eleições presidenciais de 2018.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0638120157645941)

Líder(es): Vicentina Maria Ramires Borba


Atlas Linguístico do Brasil


O Projeto Atlas Linguístico do Brasil tem por objetivo geral a descrição do português do Brasil considerando os espaços geográficos e as variáveis sociais sexo, faixa etária e grau de escolaridade, a partir da coleta de dados tomados a 1.100 informantes, distribuídos por 250 localidades brasileiras, dentre as quais se incluem as capitais de Estado (exceto Palmas e o Distrito Federal). É coordenado por um Comitê Nacional de que participam Jacyra Mota, Abdelhak Razky, Aparecida Isquerdo, Conceição Ramos, Fabiane Altino, Felício Margotti, Marcela Paim, Maria do Socorro de Aragão, Marilúcia Oliveira, Regiane Reis, Silvana Ribeiro, Valter Romano, Vanderci Aguilera. O "corpus", já constituído, conta com cerca de 3.300 horas de gravação e resulta da aplicação sistemática de Questionários Linguísticos (fonético-fonológico, semântico-lexical, morfossintático, questões de pragmática e metalinguística e texto para leitura). Publicados os dois primeiros volumes, em outubro de 2014 (EDUEL).

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4975382246626828)

Líder(es): Marcela Moura Torres Paim


Comunidade de Pesquisa em Narrativas Autobiográficas, Estudos da Linguagem e Pedagogias Emergentes (COM)


Comunidade de Pesquisa em Narrativas Autobiográficas, Estudos da Linguagem e Pedagogias Emergentes se configura enquanto um grupo de pesquisa-formação interinstitucional que promove estudos e investigações na intersecção dos campos da Educação, Linguagens e Saúde. Nossa comunidade de pesquisa se constitui como uma ambiência acolhedora e afetiva que promove experiências humanas investigativas e formativas, privilegiando uma abordagem teórico-metodológico interdisciplinar com foco nas narrativas autobiográficas, nos estudos da linguagem e das pedagogias emergentes.

Líder(es): Alexsandro dos Santos Machado


GEPROL - Grupo de Estudos em Processamento Linguístico


O GEPROL (Grupo de Estudos em Processamento Linguístico) está vinculado ao LAPROL (Laboratório de Processamento Linguístico) já consolidado na UFPB e na região Nordeste. O Grupo tem como objetivo pesquisar a linguagem humana na perspectiva da Psicolinguística Experimental, investigando os processos mentais relacionados à compreensão e à produção de linguagem em adultos e crianças, com e sem transtornos ou déficits de linguagem. As pesquisas do grupo focalizam o processamento morfológico, sintático e correferencial, também realiza trabalhos em interface com a Aquisição da Linguagem, Bilinguismo, Saúde e Educação. O grupo foi o pioneiro, na região Nordeste, na área de Processamento Linguístico ao utilizar metodologia experimental offline e online. O grupo atualmente conta com parcerias nacionais e internacionais e é referência na área da Psicolinguística Experimental no Nordeste e no Brasil.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7011093120961110) 

Líder(es): Dorothy Bezerra Silva de Brito


Grupo de Estudos em Práticas de Linguagem Latino-americanas


As atividades do grupo surgiram em duas vertentes, de um lado o projeto de pesquisa na área de Literatura Colonial Hispano-americana (Mapeando visões, configurando espaços: visões da América Hispânica Colonial), em funcionamento desde 2014 e pelo qual já passaram 6 alunos bolsistas PIBIC (UFRPE e FACEPE) e, por outro, as atividades de tradução e debates surgidas a partir do contato com o grupo El istmo centroamericano: repensando los centros, iniciado na UFPE e GT integrante da CLACSO (Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales). Dessa segunda atividade, derivam algumas traduções (artigos publicados na revista Ciência e Trópico - Fundaj, 2104 - e atualmente a tradução do livro Terquedad del Izote, de Carlos Consalvi - em andamento -, além de alguns eventos de debates na UFRPE. O grupo passa a atuar, então, desde o ano passado, confluindo essas duas atuações e, a partir desse ano, com a presença dos pesuisadores da UFPE, que passam a integrar o grupo.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4925848745600424)

Líder(es): Brenda Carlos de Andrade


Grupo de Estudos em Teoria da Gramática (GETEGRA)


Realizar estudos que contemplem tanto a descrição quanto a análise da língua portuguesa na perspectiva funcionalista ou formalista.

Líder(es): Claudia Roberta Tavares Silva


Letramento, Alfabetização, Tecnologia Digital e Cognição – LATEC


Dedicamo-nos aos estudos de linguagem como elemento de interação cultural e representação social, mais especificamente aqueles relacionados à Cognição e à Letramento. Diante disso, é do interesse pesquisar sobre o aprendizado por meio da mediação tecnológica; tratar das relações da linguagem no contexto da Saúde Pública e do Idoso e seus desdobramentos cognitivos.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5778772152178362)

Líder(es): Renata Barbosa Vicente


Memória e Imaginário nas Literaturas Brasileira e Africanas - MILBA


Partindo do princípio de que a literatura de países colonizados sempre estabelece uma política de negociação com as ideologias colonizadoras eurocêntricas, objetivamos por meio deste grupo de pesquisa discutir como se constituem as interfaces estéticas e ideológicas nas tessituras literárias brasileiras e africanas por meio de um imaginário de representação que se forma através da dissimulação, pela militância e assimilação cultural, evidenciando o modo como as relações de gênero se estabelecem e delimitam os traços políticos e culturais que tangenciam ou tencionam toda a escritura dessas literaturas no tocante aos pactos celebrados na representação do sujeito contemporâneo que não se cansa de encenar e enunciar, pontuando o discurso fragmentado e erguido em meio a representações da memória que perpassa por entre labirintos reconfigurados no processo de construção e desconstrução no qual está imerso. Pretendemos observar nas inferências das pesquisas apresentadas as vozes dos discursos.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/163896)

Líder(es): Iêdo de Oliveira Paes


Mídias Digitais e Mediações Interculturais


1. Desenvolver práticas de pesquisa no âmbito da utilização das mídias na educação: do cinema às tecnologias digitais 2. Desenvolver boas práticas de ensino a distância. 3. Valorizar a pesquisa participativa mediada pelos meios visuais, audiovisuais, sonoros e das plataformas virtuais. 4. Desenvolver boas práticas de mediação cultural e artística. 5. Criar redes de cooperação nacional e internacional e nelas integrar a formação de estudantes de graduação e pós-graduação.

(http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2484703393182736)

Líder(es): Ivanda Maria Martins Silva